RETINOPATIA DIABÉTICA

O diabetes mellitus é hoje um dos maiores problemas de saúde em todo o mundo. Atualmente, mais de 250 milhões de pessoas convivem com o diabetes, e estima-se que este número chegue a 380 milhões, em 2025. Cerca de 90% das pessoas com diabetes tipo 1 e 60% com tipo 2 devem desenvolver retinopatia diabética ao longo da vida, que prejudicará sua visão e, se não for tratada, pode causar a cegueira. Aguardar a baixa da visão para procurar o médico oftalmologista pode causar perda irreversível e decréscimo substancial na qualidade de vida de quem tem diabetes.

A retinopatia diabética, ao contrário do que se imagina, não é uma doença ligada à idade. Adolescentes e adultos jovens também podem desenvolvê-la, caso não tenham um bom controle da sua glicemia. O acometimento da visão ocorre devido ao acúmulo de material anormal nos vasos sanguíneos do fundo do olho, o que pode ocasionar o entupimento ou enfraquecimento desses vasos, muitas vezes levando ao seu rompimento, hemorragias, edema e danos à retina. A retina é a camada do olho em que estão alojadas as células que recebem luz, processam as imagens e levam essas informações ao cérebro.

O tempo de duração do diabetes mellitus é o fator de risco mais importante para a retinopatia diabética. Um segundo fator de risco é o grau de hiperglicemia. Níveis normais ou perto do normal de açúcar no sangue previnem ou retardam o início da retinopatia. Um exame oftalmológico completo deve ser realizado no momento do diagnóstico para quem tem diabetes tipo 2 e no máximo cinco anos após para o tipo 1. O paciente deve ser reavaliado a cada ano, ou mais frequentemente se alguma alteração já estiver presente. Os exames do fundo de olho e da retina são essenciais para o diagnóstico da retinopatia diabética, e os mesmos devem ser realizados por um médico oftalmologista.

Se iniciado precocemente, o tratamento da retinopatia diabética apresenta bons resultados. Através da fotocoagulação a laser, as áreas comprometidas da retina podem ser cauterizadas, e há a possibilidade de aplicação de medicações intraoculares para tratamento do edema retiniano. A melhor forma de prevenção da retinopatia diabética é manter os níveis de glicemia sob controle. Além disso, é preciso manter bons níveis de pressão arterial e das taxas de colesterol. Isso ajuda a proteger os olhos e a saúde como um todo.




Deixe seu Depoimento

Descreva abaixo seu depoimento. Campos obrigatórios *, seu email não será exposto no site.